sexta-feira, 4 de novembro de 2016

Moderadores

Eu, que nunca achei graça a felinos, vejo-me agora de coração aberto e colo disponível. A falta de familiaridade atrapalha-me, em brincadeiras inocentes leio raiva e logo me apetece, como mãe de traquinas, separar as feras. Juram-me que é pura brincadeira, que as deixe estar, que entre bichos não se mete a colher, e eu acredito por não saber mais, apesar de se me escangalharem os nervos de qualquer maneira. Se me deixassem, seria moderadora: quero arrefecer o que escalda, levantar fervura no que não sai da mornidão, aquietar o que mexe muito, agitar a mansidão. Ainda bem que me deram gatos.