sábado, 19 de agosto de 2017

Tempos livres

Desabafa, com enfado, que não tem nada para fazer. Que aflição: num planeta tão grande que nos é infinito, não encontrar algo que ver, explorar, mastigar. Como se a Terra não fosse boa o suficiente, não nos chegasse. A única vantagem será viverem poupados à terrível angústia do tempo. Nunca lhes há de ser breve.